Revista da Papelaria

Início » Notícias / Mercado » Destaques do setor

28/09/2012

   

Destaques do setor

Conheça o perfil dos ganhadores do Prêmio Desempenho 2012

Foi durante a Office PaperBrasil Escolar, realizada de 27 a 30 de agosto, que os vencedores da 2ª edição do Prêmio Desempenho receberam troféus e homenagens de diversos profissionais do setor. Confira aqui um pouco da história das cinco papelarias e dos cinco representantes comerciais contemplados. Na edição de setembro da Revista da Papelaria, você conhece o perfil completo de cada um deles.


Vencedores - Categoria Papelaria


Região Norte


Foco no público especializado
Talvez a Metro Importação fosse apenas mais uma boa papelaria em Manaus, no Amazonas, se atendesse somente ao público escolar e corporativo. Mas a empresa se destaca por suprir, desde 1988, a necessidade de estudantes de engenharia, arquitetura e design por material especializado, além de vender também para artistas plásticos.
Rosângela da Silva Aguiar, gerente administrativa da papelaria, acredita que esse seja o principal diferencial que tenha contribuído para que a empresa vencesse o 2º Prêmio Desempenho na região Norte. “Para destacar nossa especialização em material técnico, vamos às faculdades, apresentamos a loja, distribuímos panfletos”, enumera.
Além de gerente, Rosângela é herdeira da loja premiada e começou a trabalhar lá aos 16 anos. Ela conta a estratégia que vem dando certo desde a inauguração, realizada por seus pais, Lúcia Rosângela da Silva e João Rios Aguiar (foto), há 23 anos: “Meu pai trabalhava com conserto e aluguel de material de topografia e arquitetura. Aos poucos, os clientes começaram a buscar artigos do segmento para comprar, e ele se adequou à demanda. Até hoje é assim. O item mais recente que incluímos devido à grande procura foi o material de limpeza”.


Região Nordeste


Variedade como principal marca
Quem entra na Papelaria Capixaba (Teixeira de Freitas/BA), encontra de tudo um pouco. Suprimentos para informática, livros e móveis escolares, são apenas alguns dos produtos disponibilizados no estabelecimento de 280m². Materiais escolares e de escritório não poderiam ficar de fora, e representam a maior fatia do faturamento da loja.
A diversidade de produtos e serviços é, como afirma o proprietário da papelaria, Adelson Busatto (foto), um dos seus diferenciais. “O consumidor é muito exigente e quer encontrar tudo em um único local. Aqui ele possui essa facilidade. Acredito que o ambiente, bem distribuído e organizado, também agrada ao público”, avalia.
Foi em 1990 que Adelson, natural do município de Linhares, situado no Espírito Santo, ingressou no ramo de papelaria. Tudo começou quando seu irmão, Adilmo Buzatto, que trabalhava em uma revenda de móveis para escritório, foi transferido para Teixeira de Freitas, a 230 km da cidade capixaba, onde a empresa possuía uma filial. Três anos após sua chegada em território baiano, Adilmo convidou o pai e Adelson para, juntos, darem início ao negócio. “Enxergamos nessa ideia uma grande oportunidade. O nome escolhido para o estabelecimento foi uma maneira de lembrar as nossas origens e de levar um pouquinho do Espírito Santo para a Bahia”, conta.


Região Centro-Oeste


Negócio que deu certo
A gestão de Ricardo José Marques dos Reis (foto) e seu irmão, Marco Antonio, era o que faltava para o sucesso da Papelaria Dallas (Cuiabá/MT), quando eles assumiram o negócio há 10 anos. Localizada em Morada da Serra, bairro a 8 km do centro da cidade, a loja existe há 17 anos, o que facilitou as coisas para Ricardo. “Como o ponto já existia, a papelaria tinha bastante público e só precisava de uma boa administração para dar certo.”
A loja – que no início trabalhava apenas com material escolar e alguns produtos de escritório e informática – oferece atualmente mais de 25 mil itens divididos em artigos de papelaria, brinquedos, aviamentos, presentes, material esportivo e instrumentos musicais. “Temos uma grande diversidade de produtos. Os clientes sabem que vindo aqui vão encontrar um mix diferenciado”, conta Ricardo, destacando a variedade, importante característica da empresa.
O empresário também não abre mão de divulgar o estabelecimento e, para isso, investe em publicidade para TV, rádio, outdoors e panfletagem. Ele lamenta a falta de uma associação entre as papelarias de Cuiabá, mas aponta os altos impostos sobre produtos de papelaria como o maior problema: “O consumidor do dia a dia é fiel. O problema são os tributos.” Com uma filial no mesmo bairro, o plano dos sócios é abrir mais uma em 2012.
Para Ricardo, a vitória no Prêmio Desempenho é fruto da dedicação de todos na papelaria. “Temos um perfil muito competitivo e somos parceiros dos representantes. Acredito que isso tudo mostra que estamos desempenhando um bom trabalho”, afirma.


Região Sudeste


Sangue empreendedor
Localizado em Cariacica, no Espírito Santo, a Cescotec Papelaria e Informática está há seis anos no mercado da cidade, porém a história da sua criação começa em 1980, quando Iriz Cesconetto deixou o interior do estado rumo à região metropolitana de Vitória em busca de oportunidades.
Após investir em uma lanchonete, o empresário começou a perceber que o ramo atacadista poderia ser uma grande oportunidade para crescer e decidiu criar o Grupo Cesconetto, investindo nos segmentos de papelaria, informática, escritório, brinquedos, entre outros. Com a ajuda de seus cinco irmãos e sua esposa Valdete Alves de Oliveira Cesconetto (foto), Iriz transformou seu negócio em uma grande rede com dois comércios atacadistas, duas lojas magazines e um varejo voltado para o setor de modas, além da papelaria.
A Cescotec surgiu em 2006, quando o empresário decidiu investir em um negócio mais segmentado. “Sempre trabalhamos com papelaria, tanto no atacado quanto nos magazines. Vimos uma necessidade no mercado de ter uma loja com produtos mais específicos, então investimos”, explica Valdete.
Para Valdete Alves de Oliveira Cesconetto, responsável pela loja, o reconhecimento do trabalho com a vitória do Prêmio Desempenho pela região sudeste, foi algo muito satisfatório. “O prêmio foi muito importante para nós. Significa que estamos alcançando nosso objetivo: sempre atender bem os clientes”, afirma.


Região Sul


Contribuindo para o futuro do Brasil
Formado em Administração de Empresas, e com MBA na área, Nereu Adilar Passaia sempre teve tino para os negócios. Ao perceber que uma certa região da capital gaúcha, onde se localizavam várias escolas, era carente de papelarias, surgiu a ideia de investir na Rascunho Livraria e Papelaria (Porto Alegre/RS). “Abrimos as portas em 1992 com o objetivo de atender essa demanda”, conta.
O atendimento, como afirma o varejista, é um dos diferenciais da Rascunho Livraria e Papelaria. Isso porque o consumidor recebe assistência desde a sua chegada à loja até o momento da sua saída. “Os funcionários fornecem todas as características de cada um dos produtos. Procuramos ficar atentos à necessidade da pessoa, apostando em um atendimento personalizado”, garante.
Outras estratégias também são utilizadas para fidelizar a clientela. O cadastro dos consumidores que vão à loja, por exemplo, serve para que, posteriormente, eles recebam mala-direta, além de promoções e novidades por e-mail. Os estudantes representam 60% do público que frequenta o estabelecimento, fato que, para o varejista, é motivo de orgulho. “Trabalhamos com pessoas em desenvolvimento. Estamos contribuindo para a educação e o futuro do país”, acredita. Foi o gerente da loja, Marcos Passaia (foto) quem esteve na cerimônia de entrega do Prêmio Desempenho.


Vencedores - Categoria Representante Comercial


Região Norte


Uma longa caminhada
Aos 72 anos de idade, o campeão do Prêmio Desempenho pela região Norte, Jorge Guilherme dos Santos (foto), garante estar em pleno vigor para desempenhar seu trabalho de representante comercial. Apesar de estar há 40 anos na profissão, ele não demonstra nenhuma vontade de parar. “Eu gosto mesmo é de trabalhar”, afirma.
Jorge conta que era trabalhador de lavoura no estado de Pernambuco, até o dia em que resolveu partir em uma verdadeira odisseia pelo país buscando se encontrar profissionalmente. O representante diz que, primeiro, viajou rumo à Bahia, onde não se adaptou. Decidiu então, ir até o Rio de Janeiro, cidade que não o agradou. Logo, ele estava na estrada novamente, dessa vez com destino a São Paulo.
Na capital paulista, ele descobriu na carreira de vendedor a sua paixão. Após trabalhar algum tempo na cidade, Jorge decidiu atravessar o país novamente. Dessa vez, o destino era Manaus. O representante explica que as coisas também não fluíram como o esperado na capital amazonense, então, logo ele já estava de malas prontas mais uma vez.
Por fim, Jorge chegou até Belém, capital do Pará. Lá, ele começou a investir em sua empresa de representação comercial. “Com o tempo, os clientes foram aparecendo. Até que chegou a Compactor, que me deu uma grande oportunidade de trabalho”, explica.
A filosofia de Jorge para exercer um bom trabalho é simples. “Você precisa atender e vender bem e, além de ter um bom relacionamento com o cliente, você precisa produzir para a empresa.”, explica. Outro ponto importante na opinião do profissional, é manter os papeleiros sempre atualizados. “Quando me passam um produto novo eu corro para colocar no mercado e ver a aceitação dos meus clientes. É importante divulgar logo as novidades e passar para a empresa a opinião dos lojistas sobre o produto”, completa.


Região Nordeste


Colecionando troféus
Ficar o dia todo em um ambiente fechado e em frente ao computador definitivamente não é a “praia” de Vilson Souza Lima (foto). O que o representante comercial gosta é de ir onde o cliente está. “Fico agoniado quando estou muito tempo no escritório. As visitas são a melhor parte do meu trabalho”, conta o profissional, que ingressou no ramo de papelaria em 1988.
As constantes viagens a negócios ajudaram Lima a conquistar diversos clientes. Atualmente, a sua empresa, a
VSL Representações, atende 430 lojas. Entre promotores, funcionários e vendedores, o representante conta com o auxílio de 11 pessoas, mas sem abrir mão do contato direto com os empresários por ele atendidos.
Tanto esforço e dedicação trouxeram bons resultados. Por ser destaque nas vendas e no atendimento ao cliente, Lima foi contemplado com um carro por uma das empresas que representava. Pelo mesmo motivo, ele ganhou, de outra companhia, uma viagem à França com direito a acompanhante.

Outra conquista, como ele mesmo define, é o Prêmio Desempenho. Com 39,4% dos votos, o profissional, que atende o interior da Bahia e uma empresa em Salvador, foi o escolhido entre os dez profissionais indicados na região Nordeste. “É gratificante, e dá muito orgulho, ver o seu trabalho reconhecido”, comenta.


Região Centro-Oeste


Ofício aprendido em casa
“É importante colocar o nome do meu pai na matéria: Ademir Borges. Aprendi tudo com ele”, destaca o vencedor do 2º Prêmio Desempenho em Papelaria para Representante Comercial pela região Centro-Oeste, Alexandre Borges (foto), enquanto conta sua trajetória.
Como uma das empresas representadas por Ademir fabricava jogos educativos, muito visados pelas papelarias, ele começou a freqüentar a Office PaperBrasil Escolar, que na época era chamada de Escolar - Feira Nacional de Produtos Escolares. No evento, ele conheceu empresas setor papeleiro e ampliou sua atuação.
Os negócios foram dando certo, Ademir criou a Mira Comércio e Representações e, depois, convidou Alexandre para trabalhar com ele. Então, em 1997, os dois passaram a dividir os clientes – Ademir atende atacadistas e Alexandre, parte do varejo. Além deles, a empresa conta com mais dois representantes.
A possibilidade de ser premiado animou Alexandre. “Eu esperava ansioso pelo dia do resultado. Já tinha ficado surpreso quando soube que estava concorrendo e enviei e-mail para clientes informando e falando da votação”, conta.


Região Sudeste


Credibilidade em família
Marize Barreto (foto) até já vendeu seu carro para colocar produto de cliente no mercado. A estratégia foi propor a dez grandes varejistas que comprassem as novidades da Yes em polipropileno e, se não conseguissem revender, eles devolveriam o produto à Marize e ela retornaria o dinheiro. Para cumprir a promessa, a representante comercial vendeu o Chevette que tinha na época. “Em 30 dias, me ligaram para repor a mercadoria”, lembra.
Isso foi há cerca de 30 anos. Hoje, ela e a filha, Adriana Barreto Shigaki, comemoram o Prêmio Desempenho pela região sudeste, onde atendem todo o estado do Rio de Janeiro.
Adriana acredita que o fato de trabalharem juntas pode ter contribuído para esse prêmio: “Estamos em família e somos verdadeiras uma com a outra. Acho que essa sinceridade é percebida pelos clientes”. Marize concorda: “Honestidade passa segurança. Tenho credibilidade com os clientes porque sou muito correta, nunca deixei um furo com eles”.


Região Sul


O segredo é a alegria
O trabalho do representante comercial requer mais do que apenas habilidade de vender. Para se firmar no mercado, é essencial que o profissional desenvolva um bom relacionamento com seus clientes. Para Jean Carlo do Amaral (foto), o melhor jeito de alcançar esse objetivo é a alegria. “Eu sou uma pessoas extrovertida e brincalhona. Isso ajuda bastante. Acredito que quem traz alegria consigo abre muitas portas”, afirma.
Foi em 1997 que Jean entrou no ramo da representação e, naturalmente, toda nova empreitada reserva desafios e dificuldades, e com o profissional não foi diferente. “O começo não foi nada fácil. Entrei no ramo meio quebrado e, no primeiro mês tive que trabalhar a pé”, diz.
Após trabalhar cinco anos como preposto, Jean decidir apostar na carreira solo e iniciar seu próprio negócio e em 2003, ele abriu a Focco Representações. Para o representante comercial, o mercado não é mais o mesmo que antigamente. “O segmento de papelaria está mudando muito. Atualmente, o papeleiro vende de tudo, como produtos de bazar e de informática, por exemplo. Ele atende vários outros nichos do mercado”, explica.
Jean conta que ficou surpresa ao receber a notícia de sua vitória no Prêmio Desempenho pela região sul. “Eu não conhecia o prêmio. Assim que entraram em contato comigo e disseram que eu estava concorrendo, comecei a fazer minha campanha. Fiquei muito surpreso”, completa. E ainda justifica sua conquista com simplicidade. “O mais importante é o pós-venda. Visitar o cliente todo mês, apresentar as novidades e resolver os eventuais problemas com rapidez”, revela.

 

< Anterior | Próxima >