Revista da Papelaria

Início » Notícias / Tecnologia » Crescem vendas de acessórios para smartphones

24/09/2013

   

Crescem vendas de acessórios para smartphones

Películas protetoras, capas de personalização, fone de ouvido e pingentes são alguns dos produtos mais vendidos

De acordo com a consultoria IDC, só no segundo trimestre foram vendidos cerca de 8 milhões de smartphones no Brasil, um aumento de 110% se comparado com o mesmo período do ano anterior.


O estudo também aponta que a venda de smartphones superou a de feature phones, dominando 54% do mercado local. Este crescimento também impulsionou outro mercado: o de acessórios para celular.


Carregadores, Capinhas personalizadas, películas protetoras, fone de ouvido, carregadores avulsos, entre outros acessórios, estão entre os mais desejados dos consumidores brasileiros. Segundo a MDX Telecom, distribuidora de acessórios para celular e tablets, pelo menos três acessórios são adquiridos a partir da compra de um celular. Camila Brunelli, responsável pelo marketing de acessórios da MDX, afirma que o ticket médio gasto chega a ser de R$ 150.


“Os novos aparelhos de celular estão cada vez mais finos, são confeccionados com materiais mais delicados, por isso, exigem muito mais proteção. O fator dominante para o aumento das vendas está na questão da personalização. Os consumidores querem que o celular tenha design diferenciado e esteja de acordo com o ambiente em que esteja. Além disso, hoje toda a nossa vida pode ser concentrada em um único dispositivo. Temos GPS, agenda de contatos, email e muitas outras coisas dentro do nosso smartphone ou tablete. Ficar sem bateria nesse aparelho tem consequências muito mais sérias, podemos perder compromissos e informações importantes, então temos que ter carregadores adicionais para nossos aparelhos”, explica Brunelli.


Um relatório da ABI Research acredita que o mercado mundial de acessórios para celulares registrará US$ 62 bilhões em vendas em 2017. Capas protetoras e headsets estéreo com fio serão os acessórios com maior crescimento médio anual: 18,2% e 15,6%, respectivamente. 

 

< Anterior | Próxima >