Revista da Papelaria

Início » Notícias / Mercado » O Pequeno Príncipe ganha força em licenciamento

30/09/2014

   

O Pequeno Príncipe ganha força em licenciamento

Personagem famoso mundialmente ressurge com todo seu carisma e empresa quer tornar os artigos mais acessíveis no país

Antoine de Saint-Exupéry não deveria imaginar que o personagem de seu livro escrito em 1943 seria tão conhecido mais de 70 anos depois, nem que a obra seria traduzida para mais de 160 idiomas. O Pequeno Príncipe parecia feito para crianças, mas o teor poético e filosófico arrebatou adultos. O doce menino tem um representante da marca no Brasil: Renato Zindeluk, da Luk Marcas de Valor, que deu entrevista exclusiva à REVISTA DA PAPELARIA.
Em sociedade com a Succession Saint-Ex., a empresa trabalha o personagem por aqui desde 2006. Daqui a alguns meses, a marca chegará a outros países da América Latina. Renato explicou como adquiriu a licença. “Em uma reunião de briefing para uma nova coleção de joias, buscávamos um símbolo que demonstrasse valores. Nossa diretora de criação, Sheila Dryzun, apontou na hora O Pequeno Príncipe, que era um símbolo, um porta-voz do que buscávamos transmitir. Fomos a Paris negociar e fechar contrato com os detentores dos direitos autorais para o licenciamento exclusivo de uma linha de joias. Já em nosso primeiro encontro surgiu uma empatia muito grande e, a partir daí, desenvolvemos uma relação de muita confiança e respeito. A linha foi um sucesso tão grande que surgiu a ideia de abrir uma empresa, exclusiva, para gerir os direitos autorais e cuidar da imagem do Pequeno Príncipe no Brasil”.


Charme francês
O desejo de trabalhar com o personagem remete a valores como amor, sustentabilidade, liberdade, superação, amizade e bem-estar. “Cativar em todos os aspectos da vida é extremamente importante. O Pequeno Príncipe é totalmente voltado à família e aos amigos. Ele tem tudo que um produto precisa para mostrar que é correto, moderno e divertido. O fato de ser originário da França traz um grande charme, além de agregar sofisticação a tudo que o envolve”, detalhou Renato. Para ele, trabalhar com um personagem mundialmente famoso é complexo, mas é recompensador colocar o Brasil entre os três maiores países consumidores dos produtos do principezinho. A página no Facebook é a maior do mundo, com 2.400.000 fãs.
Renato participou da Office Brasil Escolar no estande da Jandaia, fabricante com a qual renovou a licença pelo sétimo ano. Além de joias e cadernos, a marca está em categorias como vestuário, calçados, acessórios, decoração, alimentos e bebidas, livros, revistas, bolsas, artigos para festa, entre outros. Alguns dos parceiros são Cacau Show, Editora Abril, Riachuelo, Grendene, Tok&Stok, Pacific, Teca e Sulamericana.
O futuro do licenciamento está muito bem planejado. Renato quer consolidar cada vez mais O Pequeno Príncipe entre o público e tornar os artigos mais acessíveis no Brasil, pois ainda é difícil encontrá-los em certas regiões. Para ajudar, está sendo criada a loja virtual www.lojaopequenoprincipe.com.br – por enquanto, estão em funcionamento o site www.opequenoprincipe.com e todas as redes sociais oficiais. A empresa também está em fase de produção de um musical em estilo Broadway, além do projeto para levar apresentações a escolas em todo país. Exposições em shoppings já reuniram mais de um milhão de visitantes e continuarão pelos próximos dois anos. O menino e sua rosa ainda têm muito trabalho a fazer!

 

< Anterior | Próxima >