Revista da Papelaria

Início » Notícias / Tecnologia » Material Escolar na web

11/11/2014

   

Material Escolar na web

Nova plataforma reúne colégios e fornecedores para facilitar vida dos pais na hora da compra do material escolar

Comprar o material escolar das crianças já é mais fácil e rápido do que era há alguns anos. Explorando a popularização das plataformas de e-commerce, o site Itspaper reúne, em ambiente virtual, as listas de materiais de algumas das principais escolas do Rio de Janeiro e permite a compra desses produtos sem a necessidade de deslocamento até uma loja física.


“A ideia surgiu da necessidade de simplificar oprocesso de compras do material escolar. Dois dos sócios são pais e perceberam o quão trabalhoso pode ser esse período, no qual há estresse e desgastes físicos e mentais — além de custos financeiros”, aponta Stephan Schwartz, um dos sócios (o que não é pai) da Itspaper.


A papelaria virtual foi lançada no fim de 2013, de olho no período de volta às aulas de 2014. Segundo Stephan, o projeto foi bem recebido por todos os stakeholders envolvidos. Colégios, responsáveis e fornecedores se animaram com a ideia de encurtar o caminho para a compra dos produtos utilizados pela criançada durante o ano.


“O lançamento foi bem legal. Queríamos ver a reação do mercado, que foi muito boa. A ideia foi bem absorvida e todos se engajaram no projeto. Após o bom desempenho do primeiro volta às aulas, estamos esperando aumento considerável no próximo. As pessoas aderiram bem”, pontua.


No entanto, a tradição ainda é obstáculo para a Itspaper. O processo de compra do material escolar é uma espécie de cultura no Brasil. Há décadas, o colégio emite a lista aos pais, que vão às ruas para adquirir os itens. O problema é que nem todos os produtos pedidos são encontrados na mesma loja, o que gera maiores deslocamentos, mais gasto de tempo e custos financeiros como transporte, estacionamento ou combustível.


Além da aproximação com o público, a ideia da Itspaper é a de se manter próxima, também, dos fornecedores. Todo esse cuidado explica-se pela estratégia da empresa, de primeiro se consolidar no Rio de Janeiro para, em um segundo momento, expandir as ações a outras cidades e estados Brasil afora.


“Nós acreditamos que o futuro seja a internet. Não há porque um processo que, atualmente, é desgastante e penoso não ser on-line, em uma plataforma simples, rápida e segura — tanto que o público aderiu bem. Por isso, estamos esperando um aumento considerável para o próximo ano”, conclui o empresário.


Os empresários de papelaria devem ficar de olho nas mudanças provenientes do uso da tecnologia e, cada vez mais, tentar se adequar a esse universo. Além disso, o investimento em um mix diversificado é o que pode garantir boas vendas o ano inteiro.

 

< Anterior | Próxima >