Revista da Papelaria

Início » Notícias / Mercado » Cartão material escolar avança em SP

16/03/2015

   

Cartão material escolar avança em SP

Governador cogita troca de kits por cartões, em medida apoiada por entidades varejistas

O Estado de São Paulo cogita cada vez mais implementar o Cartão Material Escolar em toda a rede de ensino. O governador Geraldo Alckmin afirmou já estudar o repasse do recurso para a compra dos produtos diretamente para as famílias. Segundo Alckmin, a medida descentralizaria a compra do material escolar.


A medida acabaria com o modelo atual, de distribuição de kits com os itens pré-aprovados. A declaração de Alckmin foi causada pelo atraso na entrega dos produtos – até meados de março, cerca 390 mil estudantes ainda não receberam os kits paulistas. 


Para o presidente da Abfiae (Associação Brasileira dos Fabricantes e Importadores de Artigos Escolares), Rubens Passos, a melhor alternativa para suprir os alunos é o Cartão Material Escolar, que permite às famílias comprar diretamente nas papelarias de acordo com suas necessidades e em tempo hábil para o início das aulas. Além disso, evita possíveis fraudes nas licitações, cancelamentos e atrasos. 


“Além do aumento da autoestima e rendimento escolar do aluno, que passa a escolher o próprio material, o cartão facilita o acesso das famílias a produtos de boa qualidade e descentraliza a renda ao estimular a geração e manutenção de empregos no comércio. Outro enorme ganho desse modelo é a economia dos governos com a eliminação de licitações mal-executadas ou fraudulentas que ocorrem todos os anos pelo Brasil afora.”, explica Passos.


Atualmente, mais de 20 cidades e o Distrito Federal já utilizam o Cartão Material Escolar. A aprovação da PLS 122 aceleraria a implantação do CME em todo Brasil. Por isso, seria fundamental o Governo Federal apoiar a aprovação do projeto no Senado e Câmara de Deputados.

 

< Anterior | Próxima >