Revista da Papelaria

Início » Notícias / Tecnologia » Drones vão mudar o mundo

20/11/2015

   

Drones vão mudar o mundo

Regulamentação para o uso profissional dos Veículos Aéreos Não Tripulados está prevista para início de 2016, e a expectativa é faturar até R$ 200 milhões

Daqui a menos tempo do que se possa imaginar, motoboys e entregadores serão coisa do passado. Documentos, encomendas e pizzas serão transportados e entregues por Veículos Aéreos Não Tripulados (VANTs), os drones. Em um futuro próximo, eles estarão por toda parte – no policiamento, no lugar de trabalhadores pendurados em andaimes, inspecionando vias, na limpeza, auxiliando bombeiros, levando a imprensa aos locais mais improváveis e muito mais.


No final de outubro, em São Paulo/SP, foi realizada a Drone Show Latin America, primeira feira de drones do continente latino-americano. Mais de 2.500 visitantes foram contabilizados, de acordo com Emerson Granemann, diretor da MundoGeo, empresa responsável pela organização do evento. “O número registrado superou nossas expectativas em 25%. Foi surpreendente o interesse do público e a disposição em ampliar o horizonte profissional, alavancando, assim, novos negócios”, disse Emerson. Mais uma grande porta é aberta pela tecnologia.


De acordo com informações da organizadora, não há previsão de quanto a feira deve gerar diretamente em negócios futuros, mas a expectativa é de que o mercado de drones fature de R$ 100 milhões a R$ 200 milhões de reais em 2016. A expectativa otimista se deve, principalmente, por conta da regulamentação da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) para o uso profissional de drones no país, prevista para o início do próximo ano. “As empresas estão aguardando por isso para que possam definir melhor as estratégias de investimento no setor. Muitas oportunidades vão surgir a partir da regulamentação. Nosso evento aconteceu neste momento oportuno e único”, completou o diretor.


As imagens coletadas pelos drones já são utilizadas em diferentes atividades da economia, como engenharia, agropecuária, mineração, mapeamento, publicidade, segurança, defesa, jornalismo, eventos, entre outras. Segundo a Associação Brasileira de Multirrotores (ABM), existe, hoje, no país, mais de 20 mil pilotos profissionais de drones, número que deve crescer bastante depois da regulamentação. Emerson Granemann afirmou, ainda, que acredita no surgimento de 3 mil a 5 mil novas oportunidades de trabalho, entre empregos diretos e indiretos, em 2016.


Faça a assinatura da Revista da Papelaria para conferir a matéria completa e muito mais sobre o mercado de papelaria!

 

< Anterior | Próxima >