Revista da Papelaria

Início » Notícias / Negócios » A primeira impressão fica

06/10/2017

   

A primeira impressão fica

Dicas de como montar uma vitrine de vendas atrativa para impulsinar as vendas 

Apostar em uma vitrine atrativa e inovadora é fundamental para o aumento das vendas. A explicação é simples: quando um possível comprador passa em frente a uma papelaria, ele tem poucos minutos para decidir se entra ou não. “Se você consegue despertar o interesse do consumidor já na vitrine, as chances de gerar vendas aumentam significativamente”, afirma Natalia Fernandes, sócia-diretora da Zaru Comunicação, agência de comunicação e marketing de São Paulo.


Para garantir um visual eficiente, é fundamental que as papelarias dediquem algumas horas à elaboração de um plano para a sua seção principal: a vitrine. “Com o planejamento adequado, o comerciante saberá exatamente quais os produtos que não podem faltar na vitrine em cada mês ou época do ano. Deve-se ter em vista as variadas datas comemorativas, que podem ser usadas como tema e utilizar itens mais procurados naquele determinado período para chamar atenção do consumidor”, acrescenta a profissional.


O Sebrae-SP criou uma cartilha, com dicas ilustradas, sobre como melhorar a vitrine da papelaria para vender mais. Uma das sugestões demonstradas é apostar em uma reforma no espaço físico que valorize e permita apresentar melhor os produtos expostos. Outra preocupação levantada é sobre a iluminação, que deve estar em harmonia com os itens. Dessa forma, os produtos ganham cores, e as formas são mais valorizadas.


Criar movimento na vitrine também é fundamental, segundo a publicação. Displays giratórios, projeção de vídeos, elementos cenográficos estão na lista de opções que valem a pena serem incorporadas. Uma vitrine em movimento desperta curiosidade, atraindo mais visibilidade à loja e, consequentemente, aos seus produtos. Entretanto, em meio à arrumação, é necessário ter cuidado com alguns excessos. Muita informação na hora de expor os produtos confunde os consumidores.


Além de apostar na criatividade, para inovar na montagem da vitrine, é preciso conhecer bem os produtos e o público-alvo da papelaria, pois, características como faixa etária, estilo de vida, entre outras informações, podem gerar ideias diferenciadas e direcionadas que cumpram o papel das vitrines de atrair e gerar vendas. “Conhecer o público fará com que, na montagem da vitrine, se evidencie, por meio da disposi- ção dos itens e iluminação, por exemplo, aqueles produtos com maior possibilidade de interesse”, explica Natalia.


A empresária atenta também à importância de se ter uma rotina de mudança da vitrine. “O tempo ideal pode variar de negócio para negócio, mas podemos dizer que o tema geral da vitrine pode ser trocado em um prazo maior, cerca de um mês ou até um pouco mais. No entanto, nesse período, é importante haver troca de alguns produtos semanalmente para não cansar o olhar do público”, comenta.


É válido, por exemplo, ter um calendário de trocas tendo como base os eventos do ano, volta às aulas, Páscoa, Dia das Mães, Dia dos Namorados, Dia dos Pais, Dia das Crianças, entre outros. “O ideal é estudar o calendário de comemora- ções. Você pode consultar na internet ‘comemorações do dia’ e terá a lista de todas as possibilidades e pensar: ‘Será que eu tenho itens para o Dia da Secretária? Dia do Professor?’”, acrescenta.


Na Papelaria Premium, localizada em São Paulo, que trabalha com a venda de materiais de papelaria, escritório, informática, artesanato e armarinho, das marcas Acrilex, Bic, Dello, Faber-Castell, HP, Molin, Stabilo, Tilibra, entre outras, os responsáveis pela montagem da vitrine são Douglas Santos, proprietário da papelaria, e Camila Resende, gerente. “Colocamos em destaque produtos que chamem atenção, lançamentos ou aqueles que estão com baixo preço”, conta a gerente.


A periodicidade de alteração da vitrine é feita sazonalmente, considerando os produtos disponíveis na loja e a possibilidade de aquecer a venda em certas épocas do ano, como material escolar na época de volta às aulas (dezembro e agosto); caixas/ embalagens em datas comemorativas como Natal, Dia das Mães, Dia dos Pais e Dia dos Namorados. “Costumamos remarcar alguns itens, como mochilas, e, nesse caso, também usamos a vitrine para levar essa informação aos consumidores. Em épocas sem datas específicas, utilizamos produtos que saem o ano todo, como materiais de escritório para expor na vitrine também. Não usamos apenas as datas comemorativas, aproveitamos esse ‘canal’ durante o ano todo”, comenta Camila.

 

< Anterior | Próxima >