Revista da Papelaria

Início » Notícias / Mercado » Cartões que são verdadeiros presentes

14/11/2017

   

Cartões que são verdadeiros presentes

Apesar da tecnologia, cartões de expressão social conquistam consumidores por personalização e detalhes no design

Com tantas evolu- ções tecnológicas e mensagens virtuais, você pode se perguntar: os cartões de expressão social ainda são boa aposta de venda para as papelarias? A Revista da Papelaria mostra que sim! Para acrescentar a um presente, enviar uma mensagem especial ou ser um mimo, há muitos consumidores que não dispensam a personalização e o envio de cartões. “Não há dúvidas de que a tecnologia e a crise econômica têm impacto no mercado de cartões de expressão social, que não está em expansão, contudo, continua trazendo bom retorno, dadas as suas características exclusivas de personalização e recordação. A personificação do presente acontece com a compra de um cartão exclusivo para a pessoa presenteada e que seja ideal para a passagem das palavras e sentimentos de quem o compra”, afirma Danielle Mello, gerente de produto e propaganda da Grafon’s.


A percepção é compartilhada por Isa Spivack, diretora da Fina Ideia, empresa especializada em cartões. “As pessoas procuram por cartões de expressão social, sobretudo por aqueles que possuem algum diferencial, ou no texto ou na imagem, que mexam com a emoção e conseguem transmitir sentimentos. Mesmo em tempos de crise, todos gostam de ser lembrados. Por isso, o cartão é um complemento importante no ponto de venda ou ele mesmo pode ser o presente”, explica Spivack.


Já Thiago Bayszar, gerente de vendas da Teca, observa outra mudança nas vendas. “Entendemos que o envio de cartões pelos Correios teve grande redução, pelos custos envolvidos e falta de praticidade em levar o cartão até a agência e despachá-los, por outro lado, o envio do cartão junto a presentes, ou o cartão sendo o próprio presente, houve aumento significativo, talvez, por conta da crise, o cartão tenha se tornado uma superlembrança com valor mais atraente”, considera. Ele também defende a rentabilidade do produto. “Os cartões são um ótimo investimento, possuem boa rentabilidade para as papelarias. Além disso, no caso dos cartões Teca, o display ocupa muito pouco espaço da loja e é um item que o cliente compra por impulso”, enfatiza.


A coleção da Grafon’s diversifica temas para aniversário, nascimento, formatura, entre outros, com apliques à mão, opção de tamanho maior, além de cartões com personagens licenciados, como Garfield.


“Todos os dias tem alguém fazendo aniversá- rio, casando ou simplesmente comemorando uma data especial, e é aí que entram os cartões! Por isso, as papelarias devem continuar a ver potencial nesse produto. Além disso, outro motivo é o poder de revenda que a papelaria possui. Afinal, são seus funcionários que têm contato direto com o consumidor e que podem passar o conhecimento sobre o produto, bem como ressaltar o valor agregado do cartão de expressão social. Os cartões Handmade Beauty, por exemplo, contêm apliques diferenciados e um acabamento primoroso que tornam o cartão muitas vezes o próprio presente”, considera Danielle Mello, da Grafon’s.


O último lançamento da Fina Ideia, que possui quase 400 opções de cartões, é a coleção Mini Vasos, que vem com uma mensagem especial em um pequeno vaso que pode decorar o ambiente. Todos os cartões da empresa são artesanais e muitos possuem detalhes minuciosos, como glitter, alto-relevo, corações de tecido, entre outros. “Procuramos sempre inovar, fazemos pesquisas de tendências em design e também em linguagem. Precisamos estar muito alinhados com o comportamento das pessoas, com os hábitos e com a maneira que as pessoas expressam suas emoções e sentimentos. Isso está sempre em constante mudança, o que procuramos acompanhar”, reforça a diretora Isa Spivack. Ainda segundo ela, os maiores perí- odos de vendas de cartões de expressão social são Dia dos Namorados e Natal.


Na Teca, o Natal é a época de maior sucesso na venda de cartões e, de forma geral, o tema mais vendido é o de aniversário. Thiago Bayszar, gerente de vendas, recomenda que o item seja exposto próximo ao caixa e no display.


Já sobre reposição de estoque ele explica que muitos clientes escolhem por repor quinzenalmente. “Reposições pontuais poderão ser feitas próximas ao Dia das Mães, Dia dos Namorados, Dia dos Pais e Natal, pois são lançados cartões específicos para as datas em questão. Percebo também alta de procura de cartões no período da Páscoa”, indica.


A Fina Ideia indica também outro bom local para exposição: a área de presentes. Danielle Mello, da Grafon’s, reforça o uso do expositor de cartões. “Um bom mix e uma boa exposição no ponto de venda são fundamentais para impulsionar as vendas de cartões de expressão social. O representante comercial avalia, juntamente com o lojista, a possibilidade e necessidade desse tipo de material no local. Os estoques devem ser renovados constantemente, e as datas comemorativas merecem uma atenção especial”, conclui.

 

< Anterior | Próxima >