CARREGANDO

Escreva para pesquisar

Marcas

Klabin adota novas tecnologias para auxiliar na prevenção da COVID-19

Compartilhe

Produção de álcool em gel a partir de celulose e instalação de túneis de ozônio na fábrica foram as medidas adotadas pela Klabin

A Klabin, considerada a maior produtora e exportadora de papéis para embalagens do Brasil, realizou uma parceria com o Instituto Senai de Inovação de Biossintéticos e Fibras (organização integrante do Senai Cetiqt) e a indústria de cosméticos Apoteka para produzir álcool em gel feito a partir de celulose microfibrilada (MFC). O novo produto, extraído da madeira, substitui o componente carbopol utilizado na fabricação de álcool em gel.

O trabalho inovador foi realizado ao longo de duas semanas e conduzido por um grupo de cerca de seis pesquisadores e uma equipe de 20 pessoas. O primeiro volume, de 60 quilos, já está em fase de testes e adaptações para que possa ser utilizado. Já a concepção do uso da celulose partiu do Centro de Tecnologia da Klabin e foi produzida no recém inaugurado Parque de Plantas Piloto da Companhia, em Telêmaco Borba, Paraná.

“Uma das rotas de pesquisas do Centro de Tecnologia é direcionada aos diversos usos da madeira. Temos um enorme potencial de extração de novos produtos a partir da nossa principal matéria-prima, as árvores de florestas plantadas. A utilização da nanocelulose na produção de álcool em gel reitera as inúmeras possibilidades de fonte renovável que temos pela frente”, destaca Francisco Razzolini, diretor de Tecnologia Industrial, Inovação, Sustentabilidade, Projetos e Negócio de Celulose da Klabin.

Foto: Mais à esquerda, álcool em gel desenvolvido pelas empresas e entidade, ao fundo álcool líquido e à direita, MFC.

O produto está em processo de validação pela Anvisa, mas já possui laudos técnicos que garantem a sua ação antibactericida, importante no combate à COVID-19. Além disso, a MFC utilizada para este fim é um tipo específico de nanocelulose, mais homogênea e que garante hidratação para a pele, evitando o ressecamento pelo uso contínuo do produto. Após as aprovações, a expectativa é que o álcool em gel entre rapidamente em produção para atender as demandas de mercado.

Para as empresas parceiras o envolvimento com o projeto é motivo de orgulho: “(…) O trabalho realizado em parceria com Klabin e Apoteka demonstra a capacidade de resposta e organização da pesquisa nacional quando provocada (…) Estamos orgulhosos de contribuir com o combate ao Coronavírus ao mesmo tempo que geramos valor para as empresas e para a sociedade através de uma inovação alcançada em tempo recorde. Acreditamos ser esse um dos papéis do Senai”, afirma João Bruno Valentim, Coordenador do Instituto Senai de Inovação em Biossintéticos e Fibras.

Ainda sobre a parceria, Corina Godoy, diretora de P&D da Apoteka comenta: “Frente ao cenário atual, a Apoteka acredita que tem a responsabilidade como empresa de fazer a sua parte no combate ao Coronavírus (…) Deixando de lado uma produção exclusiva de cosméticos, como filtros solares e maquiagens, e se estruturando para produzir mais de 600 quilos de álcool gel por dia, a Apoteka se orgulha de caminhar ao lado de grandes parceiros, ao encontro da necessidade da população”.

Reforço no protocolo de higiene

A iniciativa de produzir álcool em gel não foi a única maneira da Klabin demonstrar sua preocupação com os cuidados da pandemia. À prova disso, a companhia instalou túneis de ozônio nas portarias de suas unidades industriais. A medida é considerada eficaz para a desinfecção de superfícies externas.

Foto: Instalação do túnel de ozônio em unidade industrial da Klabin

A aplicação é feita dentro de um túnel inflável, que possui três metros de comprimento e conta com bicos que são responsáveis por espalhar gotículas de água com ozônio. Os colaboradores passarão pelo túnel tanto na entrada de seus turnos quanto na saída, para reforço de higienização de roupas, calçados, mochilas e EPIs (equipamentos de proteção individual). Segundo a empresa, o ozônio é um desinfetante eficiente, tradicionalmente usado na indústria alimentícia, que não causa prejuízo à saúde das pessoas e já vem sendo utilizado como uma medida de auxílio no combate ao Coronavírus.

Além da aquisição dos túneis de ozônio e de outros protocolos adotados, a empresa desenvolveu o aplicativo “Klabin Saúde”, que agiliza o atendimento dos colaboradores das operações do Paraná e os aproxima, remotamente, das equipes médicas das unidades. A companhia mantém uma rotina de cuidado permanente com a assepsia de suas instalações e, recentemente, também doou álcool em gel para todos os seus profissionais levarem para as suas casas. De acordo com a Klabin, o novo sistema já acontece em quatro de suas indústrias e a ideia é que, em breve, a tecnologia seja adotada nas operações da empresa em todo o país.