CARREGANDO

Escreva para pesquisar

Gestão

Marketplace: devo ou não investir?

Compartilhe

O recurso de vendas online cresce 73% no primeiro trimestre

Desde o começo da pandemia, as mídias sociais e o e-commerce têm sido soluções para diversos pequenos e grandes negócios continuarem a vender mesmo com as lojas físicas fechadas. Consequentemente, os grandes sites de marketplaces – websites mediados por uma empresa que oferece uma ampla variedade de produtos de fornecedores diferentes – como o Mercado LivreMagazine Luiza, B2W Digital (Americanas) e Amazon, têm apresentado crescimento de vendas e acessos.  

As vendas do Magazine Luiza, por exemplo, atingiram R$ 7,7 bilhões no primeiro trimestre de 2020, ou seja, apresentou alta de 34% em relação ao mesmo período do ano passado. Em abril, houve um crescimento de 138% e de expressivos 203%, em maio. Isso significa que diversas pequenas e grandes empresas conseguiram vender mais nestas plataformas. 

Além disso, segundo o ranking de site Rock Content, o Mercado Livre foi o oitavo site mais visitado durante o primeiro semestre de 2020. Este recebeu mais de 234 milhões de acessos nos últimos seis meses. Desde que a quarentena virou uma realidade em diversos estados do Brasil, o comércio eletrônico e os marketplaces têm sido uma solução para as vendas de diversas empresas. 

Como foi detalhado em matéria recente aqui da Revista da Papelaria sobre Marketing Digital, os marketplaces podem ser uma ferramenta estratégica para algumas papelarias e marcas durante esse momento, segundo o professor João Vitor Rodrigues, especialista na área. Enquanto alguns empreendedores dizem que as taxas cobradas pelos sites para divulgarem e venderem os produtos são altas, Rodrigues insiste que esses sites facilitam algumas burocracias de vendas e disponibilizam transportadoras por todo o Brasil, podendo assim, ser um aliado na pandemia. 

A experiência de algumas papelarias

“Nós ainda não vendemos em marketplace, mas pretendemos! Acredito que essas plataformas aumentam a visibilidade da loja, porque pessoas que não seriam os seus clientes em tese, passam a conhecer a marca por uma outra ferramenta e consequentemente, gera aumento nas vendas! Além disso, esses sites são locais de conversão de clientes para o nosso próprio e-commerce”, relata Giovanna Mannato da Papelaria Unicórnio

Para a empresária da rede Art Pel, de Minas Gerais, o desempenho dos marketplaces é muito relativo. “Eu acabei de começar a atividade na plataforma B2W e estou desanimada. Eu tenho a percepção que é muito leilão. Já no Magalu (Magazine Luiza), eu estou gostando muito mesmo. Estou amando! Também estamos vendendo bem no Mercado Livre. Na Amazon, eu quero rescindir meu contrato. Um cliente comprou um produto lá no valor de R$10 e o frete era R$75. A Amazon queria que eu arcasse com esse valor. Isso não existe! No geral, sou muito fã da Magalu. No entanto, para você vender no Mercado Livre e nos outros não existe treinamento, nenhuma assistência ou assessoria. É muito difícil entrar em contato com eles ”, explica Ana Daryma. 

Como começar a vender em marketplace

Saiba o que é preciso para se participar de um marketplace de acordo com Sidney Zynger, especialista em comércio eletrônico e diretor de marketing do Bling, sistema de gestão empresarial online para micro e pequenas empresas.

  • Faça descrições completas dos produtos
  • Use fotos que se destaquem em meio à concorrência
  • Escolha a plataforma mais adequada para seu negócio
  • Faça seu cadastro como um parceiro no marketplace
  • Cadastre e venda seus produtos
  • Não se esqueça de ter presença de marca (colocar a marca da sua loja em seus produtos)
  • Cuide da logística e fique de olho nos prazos de entrega
  • Fique atento ao gerenciamento de contas do negócio, especialmente, na taxa de comissionamento para não ter surpresas após começar as vendas.

Vender com sucesso em marketplace

Sebrae divulgou 5 dicas elaboradas pelo marketplace Magalu para os donos de pequenos negócios terem melhor desempenho!

  1. Escolha bem os produtos que você vai vender: Foque em itens que você conhece bem e sabe que tem mais saída para facilitar seu processo de vendas. Dessa forma, você também consegue atrair o público que mais se encaixa no perfil da sua loja. Também fique de olho nas tendências e observe o que a concorrência está oferecendo para que você consiga destacar seus diferenciais.
  2. Capriche no anúncio: Primeiramente, pesquise como seus concorrentes anunciam e quais são as dúvidas mais comuns dos consumidores. Em segundo lugar, fique atendo ao título, que deve ter o nome, a marca, o modelo e especificação técnica do produto. Depois, certifique-se de inserir o produto na categoria correta, pois muitos compradores utilizam a busca por categoria. As fotos, elas devem ser nítidas e apresentar bem o produto. O tamanho ideal é 1200×1900 pixel. Mostre o produto real e apenas um por foto. Um bom vídeo também pode ajudar nas vendas, mostrando como o produto funciona de forma objetiva e simples. O vídeo não deve ultrapassar 60 segundos.
  3. Tenha os produtos em estoque. Nunca anuncie sem ter estoque. Ter o produto para entrega é fundamental para a venda online. Se seu estoque for muito pequeno ou esgotar, encerre seu anúncio ou interrompa a divulgação até que tenha novamente o produto. Saiba que a relevância do produto dentro da plataforma depende de como gerencia o seu estoque. Por isso, evite encerrar ou interromper anúncios por falta de estoque para não perder visibilidade para os clientes.
  4. Precifique bem seus produtos. Colocar o preço correto nos produtos é um dos maiores desafios para os pequenos negócios. No comércio eletrônico não é diferente. Oferecer frete grátis, por exemplo, pode destacar seu anúncio, mas avalie bem se esse custo está dentro das suas possibilidades. Alguns marketplaces dividem o custo do frete grátis com o vendedor para produtos acima de um valor específico. Verifique as condições da plataforma para definir sua estratégia de frete e de preços.
  5. Atenda aos compradores com atenção e rapidez. Na internet, a sua loja fica aberta 24h por dia e os compradores querem atenção imediata. Responda rápido aos questionamentos, pois respostas em até 2 minutos podem fazer diferença para concluir a venda ou não. Para isso, tenha alguém de plantão mesmo à noite, finais de semana ou feriados para não deixar seu potencial comprador esperando. Crie respostas automáticas para as perguntas mais frequentes e mesmo que o comprador solicite algo que você não tem, ofereça algo semelhante com o link do anúncio para tal compra. O pós-venda também é muito importante. Então verifique com atenção o produto a ser enviado e poste-o o mais rapidamente possível. Em caso de problemas, tenha uma postura amigável e resolutiva para garantir a satisfação do cliente e proporcionar boa avaliação do seu atendimento.

Tags:

Você pode gostar também