CARREGANDO

Escreva para pesquisar

Atualidade

Enfrentando desafios sozinho?

Compartilhe

O que as associações têm feito para apoiar os empresários do segmento

A pandemia do novo coronavírus forçou muitos empresários do setor de papelaria a se reinventarem tanto em relação às  formas de vendas quanto em relação à  questão organizacional dos seus negócios. Todos tiveram impactos, isso é notório, mas com a parceria e o apoio de associações do setor, muitos estão com a esperança de um futuro melhor.

Antônio Nogueira, presidente da Simpa (Sindicato do Comércio Varejista de Material de Escritório e Papelaria de São Paulo e Região), explica que o setor sentiu a ausência de uma política de orientação. “Não tivemos nenhum apoio do estado ou município com recursos. Passamos por uma retração muito grande nas vendas, a pandemia abalou muito nosso segmento, afirma. 

Já com a evolução da pandemia, para Ricardo Carrijo, diretor de relações institucionais da Abfiae (Associação Brasileira de Fabricantes e Importadores de Artigos Escolares), o problema que vem sendo enfrentado pelo setor é a falta de critérios e regras claras e adequadas quanto às leis e decretos municipais e estaduais. Tanto em relação aos dias e horários de funcionamento, como em relaçãoàs taxas de ocupação dos estabelecimentos e outras restrições sanitárias. “As papelarias têm se esforçado para atender a todos os protocolos exigidos, como, por exemplo, a disponibilização de álcool em gel para clientes, cuidados com a equipe de colaboradores e adaptações das instalações”, pontua.

Outro desafio encontrado pelas papelarias é transitar entre o varejo tradicional (off-line) e o mercado do e-commerce(on-line). De acordo com Matheus Gabassi, diretor da ZNK Marketing e consultor da Rede de Papelarias Brasil Escolar, muitos lojistas, por medo do desconhecido, adiam essa ação tão necessária. “Hoje em dia, quem não vende pela internet com certeza está perdendo dinheiro. E em pouco tempo quem não se adaptar a essa realidade poderá deixar de existir. A pandemia da Covid-19 acelerou a mudança no comportamento do consumidor. Quem nunca comprou on-line se viu quase obrigado a experimentar, e quem já comprava, reforçou o hábito”, garante. 

Onda de apoio 

Carrijo conta que a Abfiae tem algumas causas setoriais importantes para o segmento. “Temos a proposta de implementação do Cartão Material Escolar, criado em parceria com a Adispa (Associação dos Distribuidores de Papelarias) e a Abigraf (Associação Brasileira de Indústria Gráfica) para gerar empregos,  descentralizar a distribuição de materiais escolares e dar maior transparência à utilização de recursos públicos, sinaliza.

“A Abfiae também procurou incentivar seus associados durante o período mais crítico da pandemia com o oferecimento de soluções creditícias viáveis para apoiar a rede distributiva das papelarias, como renegociações, concessões e flexibilização de prazos para pagamentos. Outro ponto importante é o posicionamento da associação junto ao governo federal com o objetivo de evitar a adoção de medidas protecionistas na importação de lápis originários da República Popular da China”, contextualiza Carrijo. 

Matheus Gabassi comenta que a Brasil Escolar esteve ao lado dos papeleiros fornecendo as melhores condições possíveis por meio da Central de Negócios Online Brasil Escolar. “A área de membros do portal é repleta de condições especiais para comprar com vantagem competitiva e traz também informações valiosas para o papeleiro se atualizar, conta. 

O presidente da Simpa diz que o sindicato tem conversado com vários grupos de papelaria para dar uma palavra de otimismo ao setor. “Não abandonamos a nossa bandeira, continuamos persistentes e perseverantes. Estamos ansiosos para que, em breve, possamos dar notícias boas para os nossos associados, pois a fase é bem difícil”, argumenta Nogueira. 

Desafios da volta às aulas 2021

Carrijo ressalta que a questão básica da próxima volta às aulas é a definição das datas do calendário escolar. “Mas muitos lojistas já estão aproveitando este período de redução de atividades para criar novas alternativas de atendimento, treinar as equipes de vendedores e adaptar melhor as estruturas físicas das lojas”.

“É tempo de organizar a casa e se estruturar digitalmente para surfar em 2021 a nova onda que começou a se formar. Porém, você só “pega a onda” quando ela está no começo e não no topo. A hora é agora”, finaliza Matheus Gabassi. 

“Não abandonamos a nossa bandeira, continuamos persistentes e perseverantes. Solicitamos ao governo e entidades públicas que não criem novos impostos e controlem ou diminuam as taxações que são feitas para nós”

Antônio Nogueira, presidente da Simpa 

“A Abfiae procurou incentivar seus associados durante o período mais crítico da pandemia com o oferecimento de soluções creditícias viáveis, como renegociações, concessões e flexibilização de prazos para pagamentos”

Ricardo Carrijo, diretor de relações institucionais da Abfiae

“A área de membros do portal é repleta de condições especiais para comprar com vantagem competitiva e traz também informações valiosas para o papeleiro se atualizar”

Matheus Gabassi, diretor da ZNK Marketing e consultor da Rede de Papelarias Brasil Escolar