CARREGANDO

Escreva para pesquisar

Estratégia

Produção Fundamental para papelarias

Compartilhe

A produção e distribuição de conteúdo pelas redes sociais aproxima lojas dos consumidores

A importância das redes sociais nos dias de hoje não é segredo para ninguém. De acordo com o relatório Digital in 2019, do site We Are Social, os brasileiros ficaram em segundo no ranking de tempo gasto em redes sociais, passando uma média de 3h34m conectados.

Imagens produzidas pela fotógrafa Paula Chaves para o perfil Bee Unique: atenção com a iluminação e acabamento dos produtos são fundamentais

Com a pandemia do coronavírus, a maior parte das papelarias brasileiras precisou fechar as portas e buscar alternativas digitais para suprir as vendas físicas que não estavam aconte- cendo. Tendo em vista esse panorama, as redes sociais se tornaram muito importantes não só como um canal de comunicação com os clien- tes, mas também como um canal de vendas.

Ainda de acordo com o Digital in 2019, o Facebook segue como a maior rede social do mundo, com mais de 2,4 bilhões de usuários ativos. As principais marcas seguem produzin- do conteúdo personalizado para essa rede, que possui uma plataforma completa para geren- ciamento de anúncios e de conteúdo.

Do mesmo grupo do Facebook, o Instagram surge como a rede social do momento. Supe- rando recentemente a barreira de 1 bilhão de usuários, é considerado por especialistas um ambiente de oportunidades, com visibilidade e inovações constantes.

Imagens produzidas pela fotógrafa Paula Chaves para o perfil Bee Unique: atenção com a iluminação e acabamento dos produtos são fundamentais.

“Falando de maneira geral, o Instagram é uma ferramenta muito boa para o comércio porque você pode realizar a venda diretamente pela plataforma. O Facebook ainda é muito forte sim, mas quem está no topo é o Instagram”, avalia o social media da Rock Content, Pedro Galvão.

A opinião é corroborada pela também social media e fotógrafa Paula Chaves, que tem entre a suas especialidades a produção de conteúdo para lojas e marcas de papelaria. “Eu acredito que o Instagram é a grande rede para se comu- nicar e que por meio dela também é possível impulsionar as vendas. Lá as pessoas podem ver como um produto funciona antes de comprar, além de acender o desejo de compra”, afirma.

Gestão de redes sociais

Criar relacionamento com o cliente para que ele veja os seus produtos e entre em contato com a loja é um dos objetivos da utilização das redes sociais. Para isso, é preciso investir na produção de conteúdo, que deve apresentar uma harmonia entre texto e imagem. “Quan- do a gente fala em redes sociais, fazer testes é uma das coisas mais importantes. Investir em conteúdo é fundamental, principalmente neste período de isolamento, porque as pessoas estão

mais presentes nesses ambientes e querem solucionar problemas”, afirma Pedro Galvão.

Como a intenção é criar relacionamento, é importante que os posts não sejam muito agres- sivos do ponto de vista das vendas. Às vezes apresentar um conteúdo interessante sobre o uso de uma caneta ou de um papel diferente pode chamar mais a atenção do cliente. “É le- gal mostrar como a marca consegue ajudar as pessoas, porque é muito difícil manter um dis- curso de vendas neste momento de pandemia sem se preocupar com as pessoas, porque não vai estar de acordo com a realidade do público. Acho importante ter um balanço, não oferecer apenas conteúdos que falem diretamente sobre vendas, também é interessante produzir posts que tragam conhecimento sobre a marca, o produto ou o mercado”, ressalta Pedro.

Uma questão que sempre vem à tona quan- do falamos sobre lojas e redes sociais é sobre informar ou não o preço das mercadorias. De acordo com o especialista, é preciso fazer um teste para entender como o seu público reage e ter em mente que incentivar o contato do cliente por mensagem pode ser uma estratégia de argumento de vendas.

“Algumas empresas consideram que colo- car preço pode assustar, não necessariamente pelo valor, mas por ser uma estratégia muito direta. Eu acho que depende muito do produto, da persona e de outros fatores. Vale o teste: se você postar o produto sem o preço e ninguém enviar mensagem, pode ser que não esteja funcionando”, finaliza.

Produção de conteúdo

Apesar de o uso das redes sociais ser bem simples, algumas lojas podem ter receio de utilizá-las devido à produção de conteúdo, com a impressão de que fazer fotos boas pode ser caro ou demandar muito tempo.

“É muito importante que as pessoas não pensem que, por não terem condições de con- tratar um profissional, elas não possam produzir fotos para as redes sociais da loja. É possível fazer boas imagens usando um celular ou tablet seguindo regras simples, como ter uma boa iluminação”, avalia Paula Chaves, responsável pelo conteúdo da Big Nunes Papelaria e da Bee Unique.

Antes de começar a produção das fotos, é importante buscar referências, seja em relação à paleta de cores ou em outros perfis no Ins- tagram que te chamem a atenção. Também é fundamental ter em mente a mensagem que você quer passar sobre a sua loja ou especifica- mente sobre os produtos fotografados, e então, mãos à obra.

“Busque um ambiente mais claro, pode ser próximo de uma janela ou uma sala mais branca. Use papel cartão ou cartolina para criar fundos e texturas ou mesmo uma mesa que tenha a tampa branca ou amadeirada e procure sempre ter um ângulo reto”, orienta Paula, que acredita que fotos quadradas chamem mais a atenção no feed.

Não se esqueça de deixar a mesa livre e de conferir se os produtos e embalagens estão em perfeitas condições antes das fotos. De acordo com Paula, esses são dois dos principais problemas que ela observa no Instagram. “Fico incomodada quando eu vejo na internet fotos tiradas de qualquer jeito, em que a pessoa nem se preocupou em tirar da mesa itens que estão vazando na imagem ou mesmo limpar o pro- duto antes de fotografar”, ressalta.

Em tempo de isolamento social, em que as pessoas estão impossibilitadas de ir às lojas tes- tarem os produtos, fazer fotos e vídeos demons- trando o uso deles pode ser um diferencial. “Um tipo de foto que tende a chamar mais a atenção e que tem uma boa repercussão é fazer testes de canetas, mostrando como o produto é e como ele funciona”, afirma.

Por fim, é possível ter em mente que a foto ou vídeo é apenas uma parte do conteúdo e que deve seguir um conceito pré-estabelecido. “A foto em si não é um conteúdo, é preciso ter um alinhamento entre a imagem, a legenda e o que você quer promover. A foto tem que ter um conceito, tem que dizer algo, não é apenas jogar uma foto no feed”, finaliza Paula